A IDENTIDADE PROFISSIONAL DO COORDENADOR PEDAGÓGICO FRENTE AOS DESAFIOS DO COTIDIANO ESCOLAR

Natália Heloisa Diehl

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo principal entender e descrever as dificuldades que o Coordenador Pedagógico e o Orientador Educacional encontram em sua rotina. A verificação se deu através de estudo de caso que foi analisado através do método qualitativo. Os dados para análise dos resultados foram obtidos através de entrevistas e observações realizadas no ambiente de um educandário da rede pública estadual, em um município do noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Os colaboradores do estudo relataram sobre os desvios de função que interferem em rua rotina de trabalho. Os resultados dessa investigação, associados à teoria pertinente, possibilitaram o diagnóstico acerca dos atributos destas competências, constatando-se que o Coordenador Pedagógico e o Orientador Educacional são facilitadores da construção de um ambiente democrático e participativo e que busca a produção do conhecimento. Estes profissionais podem ainda auxiliar em situações diversas, no entanto, seu foco principal é integrar os setores da escola, mediar momentos de conflito, ser um elo entre aluno/professor e professor/direção, focando em seu papel formativo, trazendo formações continuadas e criando situações de planejamento com o grupo docente.


Referências


BRASIL. Senado Federal. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996.

CHRISTOV, Luiza Helena da Silva. Garota Interrompida: Metáfora a ser enfrentada. In: PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de (Org.). O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. São Paulo: Loyola, 2010.

FERREIRA, Naura Syria C. Supervisão educacional no Brasil: trajetória de compromissos no domínio das políticas e da administração da educação. In: FERREIRA, N. S. C. (Org.). Supervisão Educacional para uma escola de qualidade: da formação à ação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

GIL, Antônio Carlos. Projetos de pesquisa: como elaborar. São Paulo: Atlas, 1996.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e de gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2001.

LÜCK, Heloísa. Ação Integrada: administração, supervisão e orientação educacional. 26. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; ROMEU GOMES, Suely Ferreira Deslandes. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2000.

PIMENTA, Selma Garrido. LIMA, Maria do Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

SERPA, Dagmar. Coordenador pedagógico vive crise de identidade. Edição especial “Os caminhos da coordenação pedagógica e da formação de professores”. Fundação Victor Civita, Edição Especial, n. 6. jun. 2012.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sócias: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

YIN, Roberto K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookmam. 2001.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .