CIDADES VIVAS: ANÁLISES E PROPOSIÇÕES PARA O CAMINHÓDROMO MANSSUETO VANZIN.

Luan da Silva Klebers, Bruna Silveira Pegoraro Zanardi, Luis Guilherme Aita Pippi, Alessandro Alves

Resumo


 

Devido à supervalorização dos transportes motorizados e individuais ao longo do século XX, a configuração da cidade e dos espaços urbanos sofreram bruscas mudanças, onde o ambiente, a vida urbana e os pedestres passaram a ser coadjuvantes no desenvolvimento das cidades. De antemão a este processo, durante o século XXI, surge o Urbanismo Sustentável na busca por cidades saudáveis, inteligentes e acima de tudo: caminháveis. Com o intuito de fomentar o pedestre e trazê-lo de volta como atuante no espaço público, há uma nova preocupação com a urbanização humanizada, promovendo séries de requalificações dos espaços, voltando a cidade a quem a tem por direito, “de pessoas para pessoas”. O presente artigo busca analisar, estudar e propor melhorias para o caso do Caminhódromo Municipal Manssueto Vanzin, equipamento urbano localizado em Frederico Westphalen - RS e reconhecido regionalmente como exemplo de espaço ativo. Para isso, realizou-se uma pesquisa de exploratória de carácter explicativa, onde utiliza-se dos parâmetros definidos por reconhecidos autores, como Jane Jacobs (2000) e Jan Gehl (2015),os quais demonstram que a vida dos espaços públicos urbanos está diretamente ligada à assunção do pedestre como o verdadeiro protagonista da vida urbana.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.