ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICA DA UTILIZAÇÃO OU SUPRESSÃO DE JUNTA DE DILATAÇÃO NA ESTRUTURA DE EDIFÍCIOS EM CONCRETO ARMADO COM COMPRIMENTO SUPERIOR A 30M

Givanildo Martins de Quadros, André Luis Franchini Parizotto

Resumo


Para estruturas de edifícios com comprimento superior a 30 m, a ABNT NBR 6118:2014 aconselha uso de junta de dilatação, sendo uma separação na estrutura com a função de amenizar os efeitos causados pelas ações atuantes, como as deformações horizontais e verticais provocadas principalmente pelas variações de temperaturas. Visando a comparação técnica, que analisa o dimensionamento estrutural e a questão econômica, que analisa os custos, foram realizados o dimensionamento de dois modelos diferentes de estrutura, com junta de dilatação e sem. Posteriormente, foram realizadas análises das deformações nos elementos da superestrutura de um edifício de uso educacional, localizado na cidade de Itapiranga/SC. Após o levantamento dos resultados por meio de gráficos e quadros, foi realizado a comparação dos dois modelos estruturais, onde constatou-se com base nos dimensionamentos, que em termos de orçamento dos materiais (aço, concreto e formas), o modelo estrutural sem junta de dilatação apresenta-se mais viável. Na análise das deformações, verificou-se que para cada elemento da superestrutura o modelo estrutural com junta apresentou uma menor deformação. Ambos os modelos em análise atendem os limites estabelecidos em norma sobre deformação e por isso poderiam ser executados para este caso.


Referências


ADÃO, Francisco Xavier; HEMERLY, Adriano Chequetto. Concreto Armado: Novo Milênio Cálculo Prático e Econômico. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2010. 206 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118. 2014. Projeto de estruturas de concreto – Procedimento. Rio de Janeiro, RJ, 2014.

_______. NBR 6120. 1980. Cargas para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro, RJ, 1980.

_______.NBR 6123. 1988. Forças devidas ao vento em edificações. Rio de Janeiro, RJ, 1988.

_______. NBR 8681. 2004. Ações e segurança nas estruturas – Procedimento. Rio de Janeiro, RJ, 2004.

BATTISTA, Ronaldo Carvalho; CARVALHO, Eliane Maria Lopes; PFEIL, Michèle Schubert. JUNTAS DE DILATAÇÃO TÉRMICA EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO: NECESSÁRIAS OU DISPENSÁVEIS? 53º Congresso Brasileiro do Concreto, Florianópolis, v. 1, n. 1, p.1-16, nov. 2011

BELISÁRIO, Elisa Silva. Verificação à fadiga em pontes rodoviárias de concreto armado no Brasil: Avaliação de critério normativo simplificado. 2015. 100 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

BELLEI, Poliana. Análise comparativa de custos entre edifício de alvenaria estrutural e de concreto armado convencional em construção na cidade de Alegrete – RS. 2013. 79 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal do Pampa, Alegrete, 2013.

BOTELHO, Manoel Henrique Campos; MARCHETTI, Osvaldemar. Concreto armado eu te amo. 7. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2013. 525 p.

CARVALHO, Roberto Chust; PINHEIRO, Libânio Miranda. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de concreto armado. 2 ed. São Paulo: Pini LTDA, 2013. 617 p.

CHAGAS, Daniel Pereira. Análise comparativa entre modelos estruturais para edifícios de concreto armado. 2012. 71p. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia de Produção Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

CLÍMACO, João Carlos Teatini de Souza. Estruturas de concreto armado: Fundamentos de projeto, dimensionamento e verificação. 2ª ed. Brasília: Universidade de Brasília, 2013. 410 p.

CLIMATE. Dados climatológicos para Itapiranga/SC. 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018.

CORRÊA, Márcio Roberto Silva; RAMALHO, Marcio Antonio. Fissuras em paredes de alvenaria estrutural sob lajes de cobertura de edifícios. Cadernos de Engenharia de Estruturas, São Carlos, v. 14, n. 62, p.71-80, jan. 2012.

GONILHA, José Manuel C. de Almeida. Juntas Estruturais em Edifícios Grandes em Planta. 2008. 96 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Civil, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2008.

GÜNTHER, Hartmut. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão? Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 22, n. 2, p.201-210, maio - agosto 2006.

IBGE. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços. 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2018.

IBRACON. Concreto e Construções: Concreto: Material construtivo mais consumido no mundo. São Paulo: Ibracon, v. 5000, 2009. Trimestral.

LIMA, João Marques; BRITO, Jorge de. Classificação das juntas de dilatação em obras de arte rodoviárias Portuguesas. Teoria e Prática na Engenharia Civil, Liaboa, v. 1, n. 14, p.31-41, out. 2009.

MARTHA, Luiz Fernando. ANÁLISE DE ESTRUTURAS: Conceitos e Métodos Básicos. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. 524 p.

MATTOS, Aldo Dórea. Como Preparar Orçamentos de Obras: Dicas Para Orçamentistas - Estudos de Casos - Exemplos. 1.ed. São Paulo: Pini, 2006. 281 p.

MONTEIRO, Quitéria Andreia Brás. Avaliação da necessidade de juntas de dilatação em estruturas porticadas de betão armado. 2008. 81 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Engenharia Civil, Especialização em Estruturas, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto, 2008.

MUELLER, Délcio. Análise de segunda ordem e estabilidade global em edifícios de concreto armado. 2017. 136 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Faculdade de Itapiranga - Fai, Itapiranga, 2017.

NEWMAN, Isadore; BENZ, Carolyn R. Qualitative - Quantitative Research Methodology: Exploring the Interactive Continuum. Carbondale: Southern Illinois University Press, 1998. 218 p.

NIVELLE, Adam Matthew; BROOKS, J, J. Tecnologia do concreto. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2013. 448 p.

PINHEIRO, Libânio Miranda. Fundamentos do Concreto e Projeto de Edifícios. Maio. 2007. 380 p. Notas de aula, disciplina de Estruturas de Concreto, Departamento de Engenharia de Estruturas, Universidade de São Paulo, São Carlos, SP.

PIRES, Gustavo Menegusso. Estudo do pré-dimensionamento de pilares. 2011. 113 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2011.

PORTUGAL, Erlon da Silva. Análise de estrutura de edifícios altos considerando os efeitos de segunda ordem pelo método P-Delta. 2016. 49 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

POSSA, Diones Miguel. Projeto de Edificação em Alvenaria Estrutural. 2011. 130 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Faculdade de Engenharia e Arquitetura, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2011.

RIBEIRO, Fabiana Andrade. Especificação de juntas de movimentação em revestimentos cerâmicos de fachadas de edifícios: Levantamento do estado da arte. 2006. 158 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Engenharia, Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

TRINDADE, Diego dos Santos da. Patologia em estruturas de concreto armado. 2015. 88 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

VIGETA, Jéssica Luciani. Determinação dos efeitos estáticos devidos à ação do vento em estrutura de grande altura. 2017. 104 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.