CAMPYLOBACTER SPP, UMA REVISÃO

Adriani Luiza Linn, Raquel Piletti

Resumo


Nos últimos anos as infecções alimentares têm se enquadrado como um problema de saúde pública devido às ocorrências de contaminação alimentar por micro-organismos patogênicos, como as bactérias do gênero Campylobacter. Os membros desse gênero são compostos por bactérias Gram-negativas, em sua maioria microaerófilas, e não formadoras de esporos, requerem baixas concentrações de oxigênio e altas concentrações de gás carbônico para seu crescimento. São comumente encontradas no trato gastrointestinal de homens e animais domésticos e silvestres e estão entre as principais causas de doenças diarreicas no mundo. A doença mais comum é conhecida como campilobacteriose, já a mais severa é a doença neurológica síndrome de Guillain–Barre. A transmissão pode ocorrer através do contato com animais contaminados, através de pessoa para pessoa pela rota fecal-oral, por consumo de carne crua ou mal cozida, principalmente de frango, ou de água contaminada. A detecção de Campylobacter spp em alimentos através de métodos convencionais torna-se complicada, entretanto métodos moleculares e imunoenzimáticos aparecem como opção para que se tenha uma identificação mais rápida e precisa. Diante desse contexto destaca-se a importância de inserir na legislação Brasileira o controle desse micro-organismo em toda cadeia produtiva, oferecendo dessa forma uma maior segurança para o consumidor.

 

Palavras-chave: Campylobacter spp. Infecções alimentares. Contaminação.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.